Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Se sou mais que uma pedra ou uma planta? Não sei. Sou diferente. Não sei o que é mais ou menos (Fernando Pessoa - Poemas Inconjuntos)


17
Set10
Esta série de palavras foram escritas à uns bons anos atrás, estavam guardadas numa espécie de "diário"

Queria dizer muitas palavras

Aprender a expressá-las
Saber como as entendes…
…e ouves, e sentes…
Sei do que gostas
mas não o que queres
Sei o que sinto
mas não como dizê-lo
Espero perdão, amor, pudor
espero tudo, mas que nada de mau aconteça

-----------------------------------------------

Não sei o que queres
que dizes nos teus silêncios
Olhares vidrados, lábios mortos
Talvez digas que sim, és como eu
ou que estou enganada!

Nada é o que não parece
Mas também nada parece o que é

Confusão? Só para que ama

-----------------------------------------------

Fantasmas que saem do limbo
Vozes que desistem do silêncio
E cantam, parlam, gritam, sentem…
…o desespero de ter perdido o amor entre os dedos!

Não sei porque assim é
aperceber das loucuras demasiado tarde
E não querer (poder) voltar
A sentir o verdadeiro amor…
Amar o certo e não o errado…
O homem gémeo e não o outro!

Se viver é assim, que seja
O segredo está em aceitar
esta felicidade, e não a que o coração quer!

Voar para longe
Ir numa brisa, voltar noutra
Cumprir o sonho, sem que ninguém dê conta
É esta a ambição dos loucos de lisboa

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor




Pesquisar

  Pesquisar no Blog