Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Se sou mais que uma pedra ou uma planta? Não sei. Sou diferente. Não sei o que é mais ou menos (Fernando Pessoa - Poemas Inconjuntos)


 

Para 2017 tinha estabelecido o objectivo de visitar um museu por mês (não seria bem um por mês, mas um de dois em dois meses). Infelizmente o tempo frio trouxe umas mazelas lá por casa (constipações/gripes, que passam do pai para os filhos, atacando a mãe ao de leve – felizmente, pois se a mãe cai de cama é que é bonito!)

Não tendo ainda conseguido visitar nenhum museu “ao vivo”, pesquisei sobre a existência de museus virtuais (já sei que não é a mesma coisa…). E lá fui eu ao Vaticano, visitar a Capela Sistina.

A vantagem deste tipo de visita é que podemos apreciar os frescos de um modo mais confortável, ampliando e aproximando com um simples movimento do rato.

 

A Capela Sistina foi construída entre 1473 e 1481,durante o mandato do Papa Sisto IV, a quem deve seu nome. O arquitecto encarregado da construção foi Giovanni de Dolci. No entanto, esta é mais conhecida pelos frescos que cobrem totalmente as paredes e o tecto, elaborados por vários artistas, entre os quais se destacam Botticelli, Perugino, Luca e Michelangelo.

Michelangelo demorou 4 anos a pintar o tecto, com uma representação das nove cenas do Génesis

 

 tendo demorado outros 5 anos para pintar o “Juízo Final”, que cobre o altar mor (obra realizada mais tarde, a pedido do papa Clemente VII)

 

A arte e a história que acompanham a Capela Sistina merecem sem dúvida um estudo mais aprofundado. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Maria a 31.01.2017 às 10:58

Imagino que com formação em artes, visitar locais tão ricos em expressões artísticas e história seja, de facto, uma viagem de sonho!
Para mais, olhos informados conseguem ver pormenores que escapam a quem não tem conhecimentos da área (que é o meu caso).

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor




Pesquisar

  Pesquisar no Blog